terça-feira, 12 de abril de 2011

Linha do tempo – meus 30 anos


Outro dia assisti uma matéria da Carolina Dieckman no Estrelas e ela falava sobre fazer 30 anos. Que ela realmente se sentia uma mulher mais preparada, mais especial, mais bonita, uma versão melhor dela mesma depois dos 30 anos. Na verdade, eu já tinha lido em algum lugar as mesmas declarações de Carolina Dieckman e continuei pensando...

... E na verdade continuo pensando...

Me lembro  que aos 7 me imaginava com 10 e com 15 imaginava com quem seria minha primeira vez. Com 25 eu sonhava morar sozinha aos 30.
Costumo dizer que na minha vida, passei por algumas fases que considero as fases “normais” da vida.

Me lembro do jardim de infância, da escola, dos presentes que ganhei e das brincadeiras que brinquei.

Com 9 anos dei meu primeiro beijo e tive minha primeira menstruação.
Com 14 minha melhor amiga namorou o garoto que eu gostava.
Com 15 viajei pra Disney e me apaixonei por um carinha 5 anos mais velho.
Com 16 reprovei o 2º ano do 2º grau.
Com 18 sofri muito com a morte do meu cachorro (Snoopy).
Com 19 me apaixonei perdidamente por um carinha no meu primeiro emprego.
Com 20 perdi minha virgindade e perdi meu amado avô.
Com 21 mudei de emprego.
Com 23 era patricinha e magra.
Com 24 me formei em Administração.
Com 25 tive um porre de vinho daqueles.
Com 26 tive depressão.
Com 27 namorei e noivei.
Com 28 me casei.
Com 30 viajei pra Washington, conheci Nova Iorque, saí do meu emprego e estou obesa...

E como eu me imagino hoje?

Já estou com 31 e definitivamente não enxergo ainda as vantagens tão deliciadas pela Carolina Dieckman.

E por que não? Por que não se sentir tão especial?

Seria somente culpa da obesidade?

O importante é olhar pra trás e perceber que há uma história, que devo ser feliz com a minha história e que devo continuar escrevendo a minha história. Com erros, tropeços, paixões, frustrações, amigos, família, desavenças...

Com 31 estou obesa, desempregada, dona de casa, mas com papel e lápis na mão pra continuar escrevendo a minha linda história.
Também foi após os 30 que percebi  que algumas fases da vida que guardamos apenas dentro de nós como se fosse nosso maior segredo só existia nas novelas, onde no último capítulo tudo seria revelado, mas também existe na vida real.

Não fiz coisas extraordinárias, mas fiz a minha história!

E será que ainda dá tempo de querer ser alguma coisa quando eu crescer?
Resposta: Sim. Eu quero ser uma pessoa melhor, ser mãe, mais paciente, mais adulta, mais mulher, mais atraente, mais interessante, mais profissional, mais simpática, mais divertida, bem sucedida, fazer sempre o bem, mais apaixonada, ter mais frio na barriga... E... mais magra, claro!!!

4 comentários:

Amanda Albuquerque disse...

Lindooo...
A verdade é que existe coisas bem mais importante do que estar obesa... Os momentos.
Eles que fazem nossa vida ter sentido.
Estou com 20 e exatamente na sua fase (tirando o avô).
aaah e já passei pelos 14 tambem... =/

Estou hoje namorando um cara mais velho (não 5 anos e sim 11).. Trabalhando e esperando começar as aulas, pois passei no vestibular pra Administração (também).

Tudo isso pra te desejar boa sorte pra voce...
Com certeza vai da tempo de voce ser tudo o que pretende ser... Principalmente ter frio na barriga

beijoos

leahdiet disse...

Acho que já visitei seu blog anets...rsrs...adorei adorei ADOREI o post... tentei lembrar o que ocorreu comigo em alguns anos e não consegui...:|
Boa sorte para nós... vamos alcançar nossos objetivos...Beijinhos!!!

leahdiet disse...

Ahhh... visitei sim... e já estou te seguindo!!!
Obs.: Minha memória é péssima...rsrs

Thaís disse...

Que lindo.
Consegui me lembrar exatamente da minha ingenuidade de menina e dos meus sonhos e como eu queria um namorado rs... A menina que com 13 anos, pesava 72 kg e hj com 25 ainda briga com a balança.

bjos